10

Consumo Consciente

Para se falar de consumo, primeiramente é necessário saber o conceito.

O que é consumo?

Consumo, segundo o dicionário, é aquilo que é gasto; dispêndio; uso que se faz de bens e serviços produzidos; ação de consumir, de gastar; despesa.

O ato de consumir é uma ação muitas vezes conduzida pela emoção e/ou irracionalidade, visto que nem sempre o bem ou serviço consumido é realmente necessário, ou seja, estamos falando de um consumo inconsciente.

 

Mas como tornar o seu consumo consciente?

Uma solução extremamente eficaz é responder a algumas perguntas antes de adquirir qualquer bem ou serviço:

 

1 – Eu realmente preciso desse produto/serviço?

2 – O que ele vai trazer de benefício para a minha vida?

3 – Se eu não comprar isso hoje, o que acontecerá?

4 – Estou comprando por necessidade real ou movido por outro sentimento, como carência ou baixa autoestima?

5 – Estou comprando por mim ou influenciado por outra pessoa ou por uma propaganda sedutora?

6 – Será que existe um modo mais barato de ter isso?

7 – Eu realmente quero isso?

8 – Tenho o dinheiro para comprar à vista?

9 – Eu posso ter isso?

10 – Devo ter isso ou possuo outras prioridades?

11 – Preciso do modelo mais sofisticado ou o básico e mais barato atende minhas necessidades?

 

Após responder essas perguntas você saberá se deve ou não comprar o bem ou adquirir o serviço, pois se conscientizou que os fatores que o motivavam a comprar muitas vezes eram externos.

 

Saber a diferença entre desejo e necessidade também é de extrema importância antes de fazer compras.

 

Primeiro vamos aos conceitos:

Necessidade é tudo aquilo de que precisamos, independentemente de nossos anseios. São coisas absolutamente indispensáveis para nossa vida. As necessidades são limitadas.

 

Todo ser humano possui a necessidade de se alimentar e de dormir. A alimentação e o sono são indispensáveis para a vida e independem da nossa vontade.

 

Desejo é tudo aquilo que queremos possuir ou usufruir, sendo essas coisas necessárias ou não.

 

Vimos que a alimentação é uma necessidade. Agora, caso você queira fazer sua alimentação em um restaurante de luxo desfrutando de pratos finos, isso é um desejo.

 

Sim, você está satisfazendo sua necessidade de alimento, mas a forma como escolheu satisfazer tal necessidade foi um desejo.

 

Os desejos são ilimitados, mas nossos recursos não. Por isso, ao confundirmos a diferença entre desejo e necessidade, nossa saúde financeira começa a ser ameaçada.

 

O desejo está ligado à emoção.

 

Assim, faça escolhas equilibradas. Razão e emoção fazem parte do nosso processo de escolha.

 

Não seja excessivamente emocional. Evite as decisões impulsivas e momentâneas.

 

Também não seja tão racional a ponto de retirar o seu prazer de consumir. Equilíbrio é tudo!

 

Ao se conscientizar e conhecer seu perfil de consumidor, automaticamente, você passará a consumir de maneira mais responsável e inteligente e, assim, evitará o consumismo.

Recomendações:

Guilherme Ávila 11 de junho de 2019 Sem categoria

Artigo por

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Não existem comentários
Informe seu e-mail para receber as novidades